Vai ter dinheiro até outubro: Auxílio Emergencial é prorrogado; veja valores

Vai ter dinheiro até outubro: Auxílio Emergencial é prorrogado; veja valores
Vai ter dinheiro até outubro: Auxílio Emergencial é prorrogado; veja valores – Foto: Charles Fábion / N1

Vai ter dinheiro até outubro: Auxílio Emergencial é prorrogado; veja valores.

Benefício acabaria em julho e, com prorrogação, será pago também em agosto, setembro e outubro. Parcelas vão variar de R$ 150 a R$ 375, conforme composição familiar.

>>Mais um grupo de trabalhadores podem sacar Auxílio Emergencial

O governo federal anunciou nesta segunda-feira (05/07) a prorrogação do auxílio emergencial por mais três meses. O benefício acabaria em julho e, com a prorrogação, também será pago em agosto, setembro e outubro.

Segundo a Secretaria-Geral da Presidência, o decreto de prorrogação já foi assinado pelo presidente Jair Bolsonaro e será publicado nesta terça (06/07).

>>Prazo para contestar Auxílio Emergencial negado está acabando

O Ministério da Cidadania informou que serão mantidos os valores pagos atualmente:

  • pessoas que moram sozinhas: R$ 150 por mês;
  • mulheres chefes de família: R$ 375 por mês;
  • demais beneficiários: R$ 250 por mês.

O calendário completo de pagamento ainda precisa ser divulgado pela Caixa Econômica Federal, responsável por fazer os depósitos.

Os pagamentos são feitos por meio de conta poupança digital da Caixa, que pode ser movimentada pelo aplicativo Caixa TEM. Os beneficiários do Bolsa Família recebem pelo cartão do programa.

>>Alteração pode liberar Auxílio Emergencial retroativo de R$ 3 mil; entenda

Recursos

Além do decreto, o governo anunciou nesta segunda-feira a edição de uma medida provisória a fim de abrir crédito extraordinário para o Ministério da Cidadania pagar as novas parcelas.

Medidas provisórias têm força de lei assim que publicadas no “Diário Oficial da União”. Precisam, no entanto, ser aprovadas pelo Congresso Nacional em até 120 dias para se tornar leis em definitivo.

>>Trabalhe Conosco do Grupo Big oferece mais de 1.000 vagas de emprego

Despesas pagas via crédito extraordinário ficam fora do teto de gastos, regra que limita o crescimento das despesas da União à inflação do ano anterior.

Procurado, o Ministério da Economia informou que o crédito extraordinário deve ser de cerca de R$ 20 bilhões.

A jornalistas, em junho, o ministro da Economia apresentou a estimativa de que a prorrogação do auxílio custaria aproximadamente R$ 9 bilhões por mês (R$ 27 bilhões em três meses).

>>INSS divulga novo calendário mais amplo para prova de vida; confira

No entanto, como o governo tem saldo remanescente de R$ 7 bilhões, a MP abrirá credito extraordinário de cerca de R$ 20 bilhões.

Fonte: G1

PODE LHE INTERESSAR