Saiba o que fazer para destravar o Auxílio Emergencial negado

Saiba o que fazer para destravar o Auxílio Emergencial negado
Saiba o que fazer para destravar o Auxílio Emergencial negado – Foto: Marcos Lacerda / Estadão Conteúdo

Saiba o que fazer para destravar o Auxílio Emergencial negado.

De 1.040.764 contestações referentes ao  auxílio emergencial  deste ano, somente 155.911 foram processadas e liberadas ao primeiro lote de divulgação, realizado no dia 2 de abril. A informação é do Ministério da Cidadania que garante que os pedidos ainda estão em análise e podem ser liberados. Caso você tenha benefício negado, veja como atualizar sua situação.

>>Caixa conclui pagamentos da 2ª parcela do Auxílio Emergencial; veja quem ainda recebe

Dos mais de 1 milhão de contestações, 946.272 são referentes ao público do Cadastro Único e dos canais da Caixa. Outras 94.492 foram pedidas por beneficiários do programa Bolsa Família.

O resultado do processamento está disponível no site consultaauxilio.cidadania.gov.br/consulta# desde o dia 14 deste mês.

Já as contestações dos demais lotes estão em processamento e o resultado será divulgado em breve, segundo o ministério. A data, no entanto, não foi informada.

>>Auxílio Emergencial retroativo pode pagar R$ 600 até junho; entenda

Os beneficiários do Bolsa Família considerados elegíveis recebem retroativamente, na folha de pagamento de maio, o valor da parcela de abril. É importante destacar que as contestações têm prazo de dez dias a contar da liberação do lote.

De acordo com a pasta, o sistema de contestação registra as solicitações onde os critérios de inelegibilidade são passíveis de revisão. Ou seja, onde for possível haver atualização de bases de dados. Confira neste link.

A consulta do último vínculo pode ser feita no serviço “Extrato de Contribuição (CNIS)”, no aplicativo “Meu INSS” ou na “CTPS Digital”.

– Renda familiar mensal per capita (por pessoa)

O pedido foi indeferido porque o governo federal identificou que a renda da família é superior a meio salário mínimo (R$ 550) por pessoa.

Consulte no serviço “Extrato de Contribuição (CNIS)” — no aplicativo “Meu INSS” ou na “CTPS Digital” — se as informações de recebimento de renda das pessoas da sua família estão corretas.

– Renda total acima do teto do auxílio

Foi negado porque se identificou que a renda da família é superior a três salários mínimos (R$ 3.300).

Consulte no serviço “Extrato de Contribuição (CNIS)” — no aplicativo “Meu INSS” ou na “CTPS Digital” — se as informações de recebimento de renda das pessoas da sua família estão corretas.

– Benefício previdenciário e/ou assistencial

O auxílio emergencial foi indeferido porque o governo federal identificou que a pessoa está recebendo algum benefício previdenciário (como aposentadoria) ou assistencial (como o Benefício de Prestação Continuada – BPC/Loas).

Verifique no aplicativo “Meu INSS” a situação de seu benefício. Caso você não esteja mais recebendo nenhum benefício previdenciário ou assistencial, mas o pagamento ainda não tenha sido encerrado no sistema, faça o requerimento de atualização no aplicativo “Meu INSS”.

Correções a serem feitas:

Idade: Atualizar os dados na Receita Federal presencialmente ou pelo site.

Fonte: Agência O Globo

PODE LHE INTERESSAR