Programa de auxílio-desemprego abre 10 mil vagas com bolsas de R$ 330

Programa de auxílio-desemprego abre 10 mil vagas com bolsas de R$ 330
Programa de auxílio-desemprego abre 10 mil vagas com bolsas de R$ 330 © iStock

Programa de auxílio-desemprego abre 10 mil vagas com bolsas de R$ 330.

Em coletiva realizada nesta segunda-feira (17/08) no Palácio dos Bandeirantes, foi anunciado que 10 mil vagas com bolsas de auxílio-desemprego foram criadas dentro do programa Emprego e Renda no Estado de São Paulo. O valor da bolsa é de R$ 330 mensais. Vagas serão disponibilizadas em 265 municípios.

Seguro Desemprego: Quem tem CNPJ ativo não tem direito a receber

O programa, realizado pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico, é visto como um programa de acolhimento destinado para pessoas que perderam o emprego durante a crise econômica causada pela pandemia do novo coronavírus . Por isso, tanto o programa quanto a renda tem previsão de 6 a 9 meses de duração.

Vagas abertas

As vagas abertas são voltadas para as áreas de zeladoria, limpeza, conservação e manutenção de órgãos públicos municipais, e serão distribuídas entre os municípios de Araçatuba; Barretos; Bauru; Campinas; Central; Franca; Itapeva; Marília; Presidente Prudente; Vale do Ribeira; Ribeirão Preto; Santos; São José do Rio Preto; Região Metropolitana de São Paulo, Sorocaba e Vale do Paraíba.

Bolsa Família vai começar pagamento da 5ª parcela do auxílio; FGTS libera até R$ 1.045

A escala de trabalho funcionará em escala de quatro dias de trabalho, com carga horária de 6 horas diárias, e mais um dia de qualificação profissional ou alfabetização no Centro Paula Souza. Além da bolsa-auxílio, o candidato terá direito a seguro contra acidentes pessoais.

Para participar, o candidato deve estar desempregado há pelo menos um ano, ter mais de 17 anos e morar no estado de São Paulo há pelo menos 2 anos.

As inscrições estão disponíveis e serão feitas em locais definidos pelas prefeituras. A relação completa dos endereços pode ser consultada pelo site www.desenvolvimentoeconomico.sp.gov.br.

Quem recebe Auxílio Emergencial ou FGTS nesta segunda-feira

Pandemia

Com o critério de estar ao menos um ano desempregado, não serão permitidos que pessoas que perderam o emprego durante a pandemia do novo coronavírus possam se inscrever.

Questionada pelo Portal iG sobre esse pré-requisito, a Secretária de Desenvolvimento Econômico, Patricia Ellen , afirmou que não é possível “mudar as regras do programa de um dia para o outro”, já que o programa Emprego e Renda é aprovado por lei.

Auxílio Emergencial será liberado até dezembro – veja novos calendários por ciclos

“O que a gente percebeu foi o seguinte: a pandemia agravou a situação, mas a gente já tinha pessoas em vulnerabilidade, que estão [em uma situação] até pior do que as que não estavam. Por isso nós entendemos que é preciso manter essa regra”, explicou exclusivamente ao iG.

Questionada sobre se haverá alteração no valor, Patrícia afirmou que a bolsa-auxílio era “consideravelmente menor” antes do programa ser resgatado.

Renda Brasil deve unir inscritos do Cadastro Único, Bolsa Família e Auxílio

“Isso foi uma mudança. O valor era muito baixo, dentro da legislação vigente. Percebemos que precisava ser ajustada, foi a primeira vez em muitos anos. Percebemos que precisava ser uma ajuda concreta para quem está precisando”, explicou a secretária.

Fonte: Brasil Econômico – iG

PODE LHE INTERESSAR