Pix facilita pagamentos e transferências bancárias; veja como fazer cadastramento

pix banco do brasil
© Agência Brasil

O Pix é uma nova ferramenta de transferência de pagamento instantâneo que entrou em vigor no fim do ano passado para agilizar e facilitar a vida do brasileiro. Ou seja, é um jeito mais fácil de receber, pagar ou transferir o dinheiro. Você pode fazer um Pix utilizando um celular, um tablet ou um computador, o que for mais fácil para o consumidor.

>>Clientes de bancos podem acessar serviços do governo pelo aplicativo

Criado pelo Banco Central, o Pix permite que recursos sejam transferidos entre contas em poucos segundos, a qualquer hora ou dia.

Para usar essa ferramenta, é preciso, apenas, fazer um cadastro da Chave Pix, uma espécie de identificação do usuário, que pode ser o CPF ou CNPJ, o número do telefone celular ou endereço de e-mail.

De acordo com o último dado do Banco Central, de dezembro de 2020, já foram cadastradas no país um total de 133.877.957 milhões de Chaves Pix.

>>Carteira de Trabalho Digital ultrapassa 300 milhões de acessos; veja como baixar

O que é o Pix?

O Pix é um novo jeito de fazer pagamentos criado pelo Banco Central. É totalmente digital, é instantâneo, ou seja, o dinheiro vai de uma conta para a outra em até 10 segundos. Ele pode ser feito a partir de uma conta corrente, conta poupança ou conta de pagamento pré-paga. Na prática, permite que qualquer pagamento ou transferência que antes era feito usando meios como TED, cartão ou boleto, seja feito, por exemplo, direto do aparelho celular. É totalmente gratuito para pessoas físicas e, de acordo com o Banco Central, barato para as empresas.

Segundo o Banco Central, o Pix foi criado porque não existia no Brasil uma ferramenta eletrônica que fosse acessível, prática e instantânea. Ou seja, veio para aumentar as opções disponíveis e democratizar o acesso a meios de pagamentos digitais. Além de aumentar a velocidade de pagamentos, o Pix está trazendo mais competição no mercado, proporcionando serviços melhores e mais baratos ao consumidor. Ele também permite a redução do custo do país com a produção e a distribuição do dinheiro em espécie. E pode ser um vetor para a inclusão financeira dos milhões de brasileiros que hoje não têm acesso a serviços financeiros.

>>Mega-Sena pode pagar R$ 34 milhões no sorteio de amanhã

Como usar o Pix?

Para usar essa ferramenta, basta fazer um cadastro da Chave Pix, uma espécie de identificação do usuário, que pode ser o CPF ou CNPJ, o número do telefone celular ou endereço de e-mail.

Na prática, funciona assim: Em vez de pedir agência, conta e dados pessoais do recebedor, basta pedir a Chave Pix. Então, ao invés de informar manualmente todos os dados bancários, a pessoa que vai, por exemplo, receber o pagamento, informa apenas o número do telefone celular. Ao fazer um Pix, o sistema identifica as informações da conta do credor a partir dessa chave.

>>PF realiza nova operação de combate a fraudes no Auxílio Emergencial

Por que utilizar o Pix?

Segundo o Banco Central, são várias as razões para o brasileiro utilizar o Pix:

– Para as pessoas físicas, não há custo. Ou seja, é totalmente gratuito, independente de qual instituição financeira a pessoa seja cliente. Já para as empresas, pode haver tarifas, negociadas junto às instituições financeiras de relacionamento. Hoje, mais de 700 instituições estão homologadas para oferecerem esse serviço à população;

– O dinheiro é transferido instantaneamente, a qualquer hora do dia, em qualquer dia da semana;

– Não há limite mínimo para pagamentos ou transferências via Pix. Isso quer dizer que você pode fazer transações a partir de R$ 0,01. Em geral, também não há limite máximo de valores. Entretanto, as instituições que ofertam o Pix poderão estabelecer limites máximos de valor baseados em critérios de mitigação de riscos de fraude e de critérios de prevenção à lavagem de dinheiro e ao financiamento do terrorismo.

>>Fez o saque do FGTS no ano passado? Veja como declarar no IR 2021

Como fazer o cadastro de uma Chave Pix?

Para utilizar o novo sistema de pagamento instantâneo, o cliente deverá ter uma conta corrente, conta poupança ou uma carteira digital. A instituição financeira onde a conta está cadastrada deverá ter cadastro do Pix. Aí, basta cadastrar uma chave de endereçamento junto à empresa na qual você já tem a conta, podendo ser o CPF ou CNPJ, e-mail ou telefone celular. A Chave Pix é uma identidade facilitada. Ela vincula uma dessas informações básicas às informações completas que identificam a conta transacional do cliente.

Vale ressaltar, no entanto, que não é necessário cadastrar uma chave para fazer ou receber um Pix. Ela só facilita e acelera o processo. É uma espécie de instrumento de conveniência para pagadores e recebedores. Caso o cliente não tenha essa chave cadastrada, ele pode simplesmente oferecer os dados bancários, como nome, instituição financeira, agência e conta bancária e CPF para quem for fazer a transferência para ele.

>>Conta de luz pode ficar mais barata com novo marco regulatório do setor

Como fazer o cadastramento da Chave Pix?

Para fazer o cadastramento da Chave Pix, é só entrar no aplicativo ou internet banking da instituição financeira e clicar no ícone do Pix. Todas as funcionalidades estarão disponíveis lá. A partir disso, as pessoas poderão gerenciar as chaves, gerar QR Codes, enviar um Pix para alguém ou pagar uma conta.

Segundo o Banco Central, cada conta de pessoa física pode ter até cinco chaves vinculadas a ela, independentemente da quantidade de titulares. Ou seja, se a conta for individual ou conjunta, ela poderá ter, no máximo, cinco Chaves Pix. Já no caso de pessoa jurídica, o máximo é de vinte chaves por conta.

O PIX é seguro?

Como informa o Banco Central, o Pix é totalmente seguro, pois conta com “diversas camadas de proteção”. As informações trafegam numa rede apartada da internet, criptografada, e são protegidas pela Lei do Sigilo Bancário e pela Lei Geral de Proteção de Dados. As transações via Pix contam com as mesmas medidas de segurança das transferências feitas por TED, por exemplo. Segundo o Banco Central, eventuais fraudes que acontecerem com o Pix serão de responsabilidade das instituições bancárias que oferecem o meio de pagamento.

>>Bolsa Família: liberado pagamento para inscrito com NIS final 5; consulte sua conta

Mas, atenção, segundo o Banco Central, o usuário do Pix deve sempre desconfiar de links recebidos. E para não correr qualquer tipo de risco, é importante fazer o cadastro da Chave Pix e sempre fazer as ações em um ambiente seguro da instituição financeira, por meio da internet banking ou do aplicativo do banco.

Para usar o Pix, o usuário deve ter os mesmos cuidados de outros meios eletrônicos, ou seja, não compartilhar senha ou dados pessoais. Assim, todos poderão usufruir, de forma segura, dos benefícios da nova ferramenta.

>>Toque de recolher entra em vigor na Bahia

Alguém pode utilizar minha chave para sacar dinheiro da minha conta ou praticar outro tipo de golpe?

Não. Segundo o Banco Central, a chave serve exclusivamente para facilitar a identificação do recebedor, ou seja, do destinatário da transação, facilitando a experiência do pagamento, dado que reduz a quantidade de informações que têm que ser inseridas pelo pagador para identificar o beneficiário da operação.

Para mais informações e dúvidas, é só acessar o site do Banco Central: www.bcb.gov.br

PODE LHE INTERESSAR