PIS/Pasep: projetos propõe mudanças nas datas de pagamento do abono salarial

PIS/Pasep: projetos propõe mudanças nas datas de pagamento do abono salarial
PIS/Pasep: projetos propõe mudanças nas datas de pagamento do abono salarial

PIS/Pasep: projetos propõe mudanças nas datas de pagamento do abono salarial.

O Projeto de Lei 3831/20 antecipa o pagamento do abono salarial do PIS/Pasep relativo aos exercícios de 2020/2021 com base na Relação Anual de Informações Sociais (Rais) de 2019.

Calendário PIS Pasep 2019-2020: Pagamento de setembro está disponível

Pela proposta, o pagamento do abono deve começar, no máximo até 15 de dezembro deste ano. No calendário atual, dependendo da data de nascimento ou do número de inscrição no Pasep, o benefício poderia começar a ser pago a partir de março de 2021.

Os trabalhadores com direito ao abono salarial com saques para 2020 terão crédito em conta caso sejam correntistas da Caixa ou do Banco do Brasil.

FGTS, PIS, BEm e Auxílio emergencial: você pode receber até 3 desses benefícios

A proposta, do deputado Elias Vaz (PSB-GO), tramita na Câmara dos Deputados. Segundo ele, a medida busca tornar menos penosa a vida dos brasileiros, sobretudo daqueles em situação de maior vulnerabilidade, na pandemia de Covid-19.

“Não é muito, aliás é pouco; mas é o possível ao mesmo tempo que é absolutamente indispensável mais este esforço do Congresso Nacional e do Governo Federal”, afirmou Vaz.

Renda Brasil: abono salarial do PIS pode deixar de existir para ampliar o Bolsa Família?

O texto altera a Lei do Seguro-Desemprego para antecipar a data do abono.

Abono Salarial PIS/Pasep

O valor do abono varia de R$ 88 a R$ 1.045 (um salário mínimo), dependendo do período trabalhado formalmente em 2019. O total a receber é relacionado ao número de meses trabalhados no ano anterior.

Assim, quem trabalhou um mês no ano-base 2019 receberá 1/12 do salário mínimo. Só receberá o valor total quem trabalhou o ano inteiro.

Bolsa Família pode se unir ao PIS/Pasep e Salário-família e deve ser ampliado

Quem recebeu, em média, até dois salários mínimos mensais com carteira assinada e exerceu atividade remunerada durante, pelo menos, 30 dias em 2019 tem direito ao abono.

É preciso ainda estar inscrito no PIS/Pasep há pelo menos cinco anos e ter os dados atualizados pelo empregador na Relação Anual de Informações Sociais (Rais).

Fonte: Agência Câmara de Notícias

Veja mais