Auxílio Emergencial e Bolsa Família podem ser acumulados? Entenda

Autor: Charles Fábion

Publicada em


Auxílio Emergencial e Bolsa Família podem ser acumulados? Entenda
Auxílio Emergencial e Bolsa Família podem ser acumulados? Entenda – Foto: Reprodução

Auxílio Emergencial e Bolsa Família podem ser acumulados? Entenda.

O grupo de beneficiários do Bolsa Família que têm NIS final 4 começam a receber o dinheiro da terceira parcela do Auxilio Emergencial nesta segunda-feira (22/06).

Aqueles que possuem NIS com dígito final entre 1 e 3 já tiveram a 3ª parcela liberada e continuam podendo sacar o dinheiro, caso ainda não tenham retirado a grana da conta.

Pagamentos podem ser acumulados? Entenda:

Os benefícios não posem ser acumulados. A pessoa receberá o que for de maior valor: Bolsa Família ou Auxílio Emergencial. Isto é, estas pessoas receberão o auxílio financeiro mais vantajoso.

Para ter direito, é preciso que o beneficiário do Bolsa Família preencha os requisitos para receber o auxílio emergencial (veja detalhes mais abaixo).

O calendário de pagamento para quem está no Bolsa Família é diferente daquele para quem se inscreveu por meio do aplicativo da Caixa ou pelo site, ou que estava no Cadastro Único.

O saque é liberado a cada dia a um novo grupo dos inscritos no Bolsa Família, conforme o último número do NIS:

Auxílio emergencial

Pagamento da 3ª parcela para inscritos no Bolsa Família

Os saques em dinheiro ocorrerão conforme o último número do NIS (Número de Identificação Social):

1. NIS 1: 17 de junho (qua)

2. NIS 2: 18 de junho (qui)

3. NIS 3: 19 de junho (sex)

4. NIS 4: 22 de junho (seg)

5. NIS 5: 23 de junho (ter)

6. NIS 6: 24 de junho (qua)

7. NIS 7: 25 de junho (qui)

8. NIS 8: 26 de junho (sex)

9. NIS 9: 29 de junho (seg)

10. NIS 0: 30 de junho (ter)

Como sacar?

Os beneficiários do Bolsa Família podem sacar o valor do auxílio por meio do cartão do Programa Bolsa Família, Cartão Cidadão ou por crédito em conta da Caixa.

O auxílio emergencial aprovado prevê três parcelas de R$ 600 (ou R$ 1.200 para mulheres chefe de família). O governo estuda estender o programa, mas ainda não confirmou número de parcelas nem o valor.

Com informações de UOL