Pagamento da 4ª parcela do auxílio vai começar; veja calendário completo

Pagamento da 4ª parcela do auxílio vai começar; veja calendário completo
Pagamento da 4ª parcela do auxílio vai começar; veja calendário completo

Pagamento da 4ª parcela do auxílio vai começar; veja calendário completo.

A Caixa Econômica Federal começa a pagar a quarta parcela do auxílio emergencial em 19 de julho, para beneficiários do Bolsa Família. Os valores variam de R$ 150 a R$ 375, dependendo da família. Para os demais trabalhadores que têm direito, os pagamentos começam em 23 de julho.

>>Saiba quem não terá direito às novas parcelas do Auxílio Emergencial

Neste caso, o dinheiro primeiro fica disponível para compras, pagamentos e transferências, por meio de conta digital no aplicativo Caixa Tem. Só depois de um tempo é liberado para saques.

O pagamento das quatro parcelas da ajuda federal é feito de acordo com o mês de nascimento, no caso dos trabalhadores informais. Para beneficiários do Bolsa Família, o calendário segue o último dígito do Número de Inscrição Social (NIS). Neste caso, o saque fica disponível no mesmo dia.

>>Cerca de 2 milhões de pessoas são cortadas do Auxílio Emergencial em 2021

Calendário da quarta (4ª) parcela do Auxílio Emergencial 2021

Pagamento da 4ª parcela do auxílio vai começar; veja calendário completo

Prorrogação do auxílio

Em junho, o presidente Jair Bolsonaro assinou a prorrogação do auxílio emergencial por mais três meses. As novas parcelas serão pagas em agosto, setembro e outubro, com os mesmos valores (de R$ 150 a R$ 375).

>>Veja quem tem direito de receber R$ 550 de Auxílio-inclusão

Só receberá a prorrogação quem está recebendo o auxílio atualmente, ou seja, não serão abertos novos cadastros. O governo ainda não divulgou o calendário de pagamento.

Auxílio com valor menor e para menos pessoas

O auxílio emergencial 2021 está mais restrito que o do ano passado. É pago em quatro parcelas, com valores de R$ 150, R$ 250 ou R$ 375, dependendo da família, limitado a um benefício por família.

São beneficiadas 45,6 milhões de pessoas, 22,6 milhões a menos do que no auxílio emergencial de R$ 600, pago em meados do ano passado (68,2 milhões de pessoas).

>>Bolsa Família: reformulação do benefício permitirá pagar crédito consignado

Só recebe o novo auxílio quem recebeu no ano passado e, portanto, já está inscrito nos cadastros públicos usados para a análise dos pedidos. Quem não faz parte dos cadastros não receberá o benefício, visto que não haverá novos pedidos.

Quem pode receber?

É preciso atender uma série de critérios para receber o novo auxílio:

  • ter recebido o auxílio emergencial em 2020
  • ser trabalhador informal ou beneficiário do Bolsa Família
  • ter renda familiar mensal de até três salários mínimos (R$ 3.300)
  • ter renda familiar por pessoa de até meio salário mínimo (R$ 550)

>>Aumento no Bolsa Família: Lira quer resolver impasse no 1º semestre; entenda

Como saber se vou receber?

Há três canais para consultar se terá direito:

Qual é o valor do auxílio?

Dependerá da condição de cada benefício:

  • Para quem mora sozinho: R$ 150;
  • Famílias com mais de uma pessoa e que não são chefiadas por mulheres: R$ 250;
  • Famílias chefiadas por mulheres: R$ 375;

>>4ª parcela do Auxílio Emergencial deve ser antecipada; veja calendário atual

Como é o pagamento?

O governo deposita o dinheiro nas contas digitais gratuitas abertas pela Caixa em nome dos beneficiários do auxílio no ano passado. O dinheiro pode ser movimentado pelo aplicativo Caixa Tem. Primeiro, a pessoa recebe o depósito e só consegue usar o dinheiro para compras e pagamento de contas. O saque do dinheiro só é disponibilizado semanas mais tarde.

Fonte: UOL

PODE LHE INTERESSAR