Número de beneficiários do Auxílio Emergencial pode diminuir na prorrogação

Número de beneficiários do Auxílio Emergencial pode diminuir na prorrogação do programa
Número de beneficiários do Auxílio Emergencial pode diminuir na prorrogação do programa – Foto: Joá Souza/ Futura Press/ Estadão Conteúdo

Número de beneficiários do Auxílio Emergencial pode diminuir na prorrogação do programa.

Nesta semana, o governo deve decidir sobre como será a prorrogação do auxílio emergencial. O presidente  Jair Bolsonaro deve tomar uma decisão sobre a continuidade do auxílio de R$ 600.

Possível valor (abaixo de R$ 600) e quantidade de novas parcelas do Auxílio são revelados

No entanto, membros da equipe econômica afirmam que não só o valor das parcelas pode diminuir, como também o número de recebedores do Auxílio Emergencial.

Essa ideia da equipe econômica foi divulgada na coluna da jornalista Carla Araújo, do portal UOL.

Renda Brasil vai beneficiar inscritos Cadastro Único? (Bolsa Família e Auxílio Emergencial)

Segundo economistas do governo, “essa possibilidade de alteração está em discussão, já que  o público que tem acesso ao benefício é amplo”. Há mais de 66 milhões de brasileiros recebendo o  auxílio emergencial,  e o valor gasto com o programa é de R$ 160 bilhões.

Milhões de brasileiros do Cadastro Único e Bolsa Família recebem auxílio hoje

As fontes ouvidas pela colunista confirmam a possibilidade de  diminuir o público do auxílio emergencial, mas nada foi decidido definitivamente ainda.

Contrariando a expectativa de que Bolsonaro tome alguma decisão sobre a prorrogação do auxílio nesta semana, um funcionário ligado ao  ministro da Economia, Paulo Guedes, disse que é “pouco provável” que a definição aconteça até sexta. Na primeira prorrogação que o governo fez, a medida foi anunciada às vésperas do vencimento.

Bolsa Família pode liberar pagamentos do auxílio até dezembro

O governo também trabalha com a possibilidade de  diminuir o valor das parcelas. Mas, se quiser fazer isso, terá de enviar uma nova medida ao Congresso, já que a lei que rege o auxílio emergencial determina o pagamento de R$ 600. Uma Medida Provisória teria de ser feita, nesse cado.

Fonte: Brasil Econômico – iG

PODE LHE INTERESSAR