Novos trechos de orla em Salvador passarão por requalificação

Mais dois trechos de orla vão passar por requalificação. O decreto de desapropriação dos imóveis na Avenida Octávio Mangabeira, na Boca do Rio e Pituaçu, medindo 182.780,12m² de área, foi publicado no Diário Oficial do Município para uma nova etapa do Projeto Orla. A decisão tem como base o Artigo 6º do Decreto Lei Federal nº 3.365 de 1941, que prevê a desapropriação por meio da declaração de utilidade pública.

A medida abrange a área entre as avenidas Jorge Amado e Pinto de Aguiar, no trecho de borda marítima, que envolverá a integração entre o Parque de Pituaçu e a praia. A intenção é criar um amplo espaço de uso a ser aproveitado pela população, o que facilitará também o acesso entre as quadras próximas e à faixa de areia. A área de terreno será destinada à execução do plano de urbanização e de obras de abertura, conservação e melhoramento de vias e logradouros públicos, além da exploração ou a conservação dos serviços públicos e à construção de edifícios públicos.

O espaço será dividido em quatro trechos, tendo o primeiro uma área de 40.900,96m²; o segundo, com 9.752,66m²; o terceiro, com 98.043,93m²; e o quarto, com 34.082,56 m². Ainda de acordo com o decreto, a Secretaria Municipal da Infraestrutura, Habitação e Defesa Civil (Sindec) fica autorizada a promover efetivação da desapropriação amigável dos bens.

Para o secretário de Urbanismo (Sucom), Silvio Pinheiro, os novos trechos em que serão realizadas as intervenções são mais um importante passo para o projeto de requalificação da orla. “A revitalização de diversos trechos, do Subúrbio até Itapuã, deu uma nova cara à cidade. Agora, os moradores contam com espaços que são novos pontos de referência da capital baiana”, destacou.

Desde o início da atual gestão, já foram concluídas as obras das orlas da Barra (trechos 1 e 2), Boca do Rio (trecho 1), Jardim de Alah, Piatã, Itapuã, Rio Vermelho, Ribeira, São Tomé de Paripe e Tubarão, num total de 13 quilômetros e investimentos da ordem de R$188 milhões. Além disso, sob a coordenação da Fundação Mário Leal Ferreira (FMLF), já estão sendo desenvolvidos ou concluídos os projetos das orlas de Stella Maris, Praia do Flamengo, Ipitanga, Canta Galo e Boa Viagem.

PODE LHE INTERESSAR