Novo Bolsa Família deve chegar com mudanças importantes nos benefícios; entenda

Novo Bolsa Família deve chegar com mudanças importantes nos benefícios; entenda
Novo Bolsa Família deve chegar com mudanças importantes nos benefícios; entenda

Novo Bolsa Família deve chegar com mudanças importantes nos benefícios; entenda.

O presidente Jair Bolsonaro anunciou que o Bolsa Família, maior programa de transferência de renda do país, passará por uma reformulação em breve. Conheça os detalhes sobre nome, valores, incentivos e possibilidades de utilização do dinheiro divulgados até o momento.

>>Governo vincula novo Bolsa Família à taxação de dividendos de IR; entenda

A primeira mudança foi no nome, que será Renda Cidadã. O valor também médio do benefício deverá ser “turbinado”, passando para R$ 250 até R$ 300, dependendo do resultado dos cálculos que ainda estão sendo feitos pela equipe da economia.

Para receber o benefício, o cidadão precisará estar inscrito no Cadastro Único para Programas Sociais (CadÚnico). Outra mudança é a inclusão dos seguintes incentivos escolares e benefícios menores:

>>Bolsa Família: reformulação do benefício permitirá pagar crédito consignado

  • Prêmio Esporte Escolar;
  • Bolsas de Iniciação Científica;
  • Bonificação por desemprenho escolar;
  • Auxílio Criança Cidadão; e
  • Benefício extraordinário Covid-19.

Crédito consignado

A Medida Provisória que reformula o programa também prevê a liberação de 30% do valor do benefício para contratação de crédito consignado. Segundo o Estadão, o beneficiário poderá contratar empréstimos consignados para desconto direto em fonte.

>>Novo programa paga R$ 1.800 para famílias do Cadastro Único em SP

Mas a margem de crédito tem gerando crítica entre especialistas, que alertam para o perigo da proposta. Segundo eles, a tomada de empréstimos por famílias que recebem um valor tão baixo pode aumentar o endividamento da população de baixa renda.

“Ainda que o pagamento seja consignado – ou seja, já descontado pelo banco no valor do benefício -, isso significa uma subtração substantiva de um valor que já é baixo”, criticou Rogério Barbosa, sociólogo e professor do Instituto de Estudos Sociais e Políticos da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ).

PODE LHE INTERESSAR