Novo Auxílio Emergencial deve deixar quase 30 milhões de pessoas de fora, estima entidade

Novo Auxílio Emergencial deve deixar quase 30 milhões de pessoas de fora, estima entidade
Novo Auxílio Emergencial deve deixar quase 30 milhões de pessoas de fora, estima entidade – Foto: Marcos Lacerda/ AM Press & Images/ Estadão Conteúdo

Novo Auxílio Emergencial deve deixar quase 30 milhões de pessoas de fora, estima entidade.

Quase 30 milhões de pessoas devem ficar de fora do novo auxílio emergencial em relação ao número de beneficiados no ano passado. Os números foram levantados pela campanha Renda Básica que Queremos, composta por cerca de 270 instituições, entre sindicatos, organizações jurídicas e acadêmicas.

>>Auxílio Emergencial: Quem pode atualizar os dados no Caixa Tem? Veja o cronograma

No ano passado, 68,2 milhões de pessoas foram contempladas pelo auxílio emergencial. Após aprovação da PEC Emergencial no Congresso, ficou definido que o programa será retomado este ano, mas com orçamento bem menor, o que vai reduzir o número de pessoas beneficiadas para cerca de 39,8 milhões. Isso significa que 28,4 milhões de pessoas contempladas pelo benefício no ano passado ficarão de fora da nova rodada do auxílio.

A queda da fatia do orçamento público destinada à ajuda caiu para R$ 44 bilhões. No ano passado, o governo destinou R$ 292 bilhões, segundo a Caixa Econômica.

>>Lira espera que a MP do auxílio emergencial seja imediatamente publicada

O auxílio foi sancionado no valor de R$ 600 para a maioria das pessoas contempladas pelo programa, e R$ 1.200 para mães que cuidavam de seus filhos sozinhas. O auxílio caiu, ao final de 2020, para R$ 300 mensais, ou R$ 600 para a categoria que recebia o maior valor.

O texto da PEC Emergencial, que libera o novo auxílio, já foi promulgado pelo Congresso.

>>Novo pagamento do Auxílio Emergencial é confirmado; quantas parcelas serão liberadas?

Agora, o Governo Federal precisa publicar uma medida provisória detalhando as regras do benefício. A expectativa é que o pagamento comece em abril.

Fonte: CNN

PODE LHE INTERESSAR