Justiça do Trabalho proíbe Ford de fazer demissões na Bahia

Justiça do Trabalho proíbe Ford de fazer demissões na Bahia
Justiça do Trabalho proíbe Ford de fazer demissões na Bahia. Foto: Shutterstock

Justiça do Trabalho proíbe Ford de fazer demissões na Bahia

A Justiça do Trabalho da Bahia determinou por meio de liminar que a montadora Ford está proibida de fazer demissões em massa em sua fábrica de Camaçari (BA).

Na decisão de sexta-feira (5) à noite, o juiz Leonardo de Moura Landulfo Jorge, da 3ª Vara do Trabalho de Camaçari, determinou a interrupção imediata dos desligamentos porque, segundo o magistrado, a companhia estaria burlando as negociações coletivas com o sindicato da categoria e fazendo acordos individuais com os trabalhadores.

>>Bolsa Família já iniciou os pagamentos de fevereiro? Veja cronograma completo

Landulfo Jorge afirma que a Ford não pode praticar “assédio moral negocial, de apresentar ou oferecer propostas ou valores de forma individual aos trabalhadores, durante a negociação coletiva, devendo, caso seja do seu interesse, informar a coletividade das tratativas através de comunicados oficiais”.

A montadora anunciou no início deste ano que deixaria de fabricar carros no Brasil. As fábricas de Camaçari (BA) e Taubaté (SP) foram fechadas em janeiro. Continuaram em produção no país apenas algumas peças de reposição e a a planta da Troller em Horizonte (CE), que será fechada no fim de 2021.

>>MEC destina R$ 294,9 milhões às instituições federais

A Justiça do Trabalho atendeu a um pedido do Ministério Público do Trabalho.

Com a decisão, a Ford não poderá suspender o pagamento dos salários e das licenças remuneradas dos trabalhadores.

O juiz determinou que, caso a liminar não seja cumprida, poderá ser aplicada uma multa de R$ 1 milhão por item descumprido, mais R$ 50 mil por trabalhador prejudicado.

>>Pagamento de parcelas do Fies serão suspensas até junho de 2021; sugere Projeto

PODE LHE INTERESSAR