Jovens do Cadastro Único serão inseridos no mercado de trabalho; saiba como

Foto: Reprodução

O ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, e os presidentes da Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul (Fiergs) e do Serviço Nacional de Aprendizado Industrial (Senai-RS), Gilberto Petry, assinaram, nessa quinta-feira (11), em Porto Alegre, um Protocolo de Intenções do Programa Progredir, ação do Governo Federal que busca a inclusão de pessoas de baixa renda, inscritas no Cadastro Único, no mercado de trabalho.

>>Saiba o que fazer quando não se declara o Imposto de Renda

O ministério, em parceria com a Fiergs, fomentará o programa nos três eixos: intermediação da mão de obra, qualificação profissional e empreendedorismo.

Segundo Onyx Lorenzoni, esse é um programa de sustentabilidade que proporciona um caminho de liberdade, por meio do emprego, para os mais vulneráveis. “Nós temos muitas iniciativas para gerar emprego e renda, que é um dos desafios do nosso Governo, e o Progredir é uma delas, que prepara, treina, qualifica e gera oportunidade para aqueles que precisam.”

>>INSS confirma pagamento de até R$6.433,57 em 2021; veja quem recebe

“Temos a clareza de que o grande gerador de empregos é a iniciativa privada. Por isso, disponibilizamos nossa base de dados, que hoje, graças ao Auxílio Emergencial, está completa com todos bancarizados e georreferenciados, para que juntos possamos oferecer transformações positivas aos brasileiros”, completou o ministro.

>>Auxílio de R$ 1.200 para mães solteiras será liberado em 2021?

Serão oferecidos, no site do Ministério da Cidadania, cursos gratuitos que abordam competências importantes para o mercado de trabalho, além de uma área para elaboração de currículo e vagas de emprego. Os cursos oferecidos pela Fiergs, de forma gratuita, serão divulgados na plataforma do Plano Progredir. Todos eles estão atualizados com as demandas, favorecendo tanto a inserção no mercado de trabalho quanto o empreendedorismo. Acesse a plataforma do Plano Progredir.

>>Aposentados do INSS por doença grave terão isenção no IRPF

O Cadastro Único permite que o Governo Federal identifique as famílias de baixa renda, conhecendo melhor a realidade socioeconômica dessa população. Nele são registradas informações como escolaridade, situação de trabalho e renda, características da residência, entre outras.

PODE LHE INTERESSAR