INSS: Método de Análise automática pode furar fila da aposentadoria

INSS: Método de Análise automática pode furar fila da aposentadoria
INSS: Método de Análise automática pode furar fila da aposentadoria – Reprodução

INSS: Método de Análise automática pode furar fila da aposentadoria. As análises automáticas de pedidos de benefícios do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) ainda podem ser a saída para o apagão no atendimento gerado pela falta de funcionários

Isso possibilita que ao menos parte dos 1,7 milhão de segurados que esperam resposta do órgão consigam furar essa fila.

Iniciadas em maio de 2018, as concessões feitas por computadores não chegaram perto de substituir a necessidade de abertura de concursos públicos para contratar pessoal.

Veja também: Justiça condena quadrilha que fraudava aposentadorias, pensões e BPC

Mas as decisões de processos sem interação humana avançaram. Em 2019, a automação foi responsável por decidir 1,1 milhão dos 9,4 milhões de casos concluídos, segundo a autarquia.

Então, o INSS informou nesta segunda-feira (17) que as concessões automáticas deverão aumentar a partir da adaptação dos sistemas da Dataprev (empresa de tecnologia da Previdência) às regras que entraram em vigor em 13 de novembro de 2019, data de publicação da reforma da Previdência.

A expectativa do governo é que a adaptação dos sistemas à reforma ocorra até o final de março.

Análise Automática

Hoje, a maior parte das análises computadorizadas tem resposta negativa, segundo Rita de Cássia de Assis, diretora da Fenasps (federação de sindicatos de trabalhadores da Previdência).

“Inconsistências mínimas, facilmente solucionadas por um analista humano, travam o pedido quando o ‘robô’ avalia o processo”, diz Rita.

“Ninguém é contra a tecnologia, mas é preciso melhorar o sistema.” O INSS não informou quantas das análises realizadas automaticamente em 2019 resultaram na liberação de aposentadorias ou outros benefícios.

Quando a análise automática não concede, mas também não barra o pedido, o segurado é avisado que precisará ir ao posto do INSS cumprir uma exigência.

Portanto um dos principais motivos que levam ao cumprimento de exigência do segurado é a falta de documentação necessária para a análise do requerimento.

A concessão automática, sem o comparecimento do beneficiário em uma agência da Previdência, também pode resultar em transtornos em caso de falha na análise.

Um dos riscos é o cálculo da renda com valor incorreto. Para sair da fila, porém, uma dica é aceitar o benefício

Assim, só depois, brigar por uma revisão para incluir todos os vínculos de trabalho e salários de contribuição no cálculo.

Veja também: INSS: Justiça atende pedido de Auxílio-Maternidade para pai solteiros

Fonte: Agora

PODE LHE INTERESSAR