Indústria têm maior alta de preços desde 2014: 3,28%

Indústria têm maior alta de preços desde 2014: 3,28%
Indústria têm maior alta de preços desde 2014: 3,28% © Freepik

Indústria têm maior alta de preços desde 2014: 3,28%

O Índice de Preços ao Produtor (IPP), que mede a inflação de produtos na saída das fábricas brasileiras, registrou inflação de 3,28% em agosto deste ano. Foi a maior alta de preços em um mês desde o início da pesquisa, em janeiro de 2014, segundo dados divulgados hoje (29), no Rio de Janeiro, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Em julho, o IPP teve inflação de 3,22%. Com o resultado de agosto, o índice acumula taxas de inflação de 10,80% neste ano e de 13,74% em 12 meses.

+Pagamento da primeira parcela do auxílio residual começa nesta quarta

+O Bolsa Família vai acabar? Saiba qual será o futuro do programa

Alimentos sobem 4,07%

As 24 atividades industriais pesquisadas pelo IBGE tiveram alta de preços em agosto, com destaque para os alimentos (4,07%).

“Foram quatro produtos que mais impactaram o resultado da indústria alimentar: farelo de soja, óleo de soja, arroz descascado branqueado e leite esterilizado UHT longa vida”, disse o gerente do IPP, Manuel Campos Souza Neto.

Outras altas de preços importantes foram refino de petróleo e produtos de álcool (6,24%), indústrias extrativas (8,43%) e outros produtos químicos (4,13%).

+298 candidatos milionários às eleições receberam auxílio emergencial

+BPC altera regras para inscrição no Cadastro Único na pandemia

Entre as quatro grandes categorias econômicas da indústria, o destaque ficou com os bens intermediários, isto é, os insumos industrializados usados no setor produtivo (4,03%).

As outras três categorias de produtos também tiveram alta de preços: bens de capital, isto é, as máquinas e equipamentos usados no setor produtivo (1,62%), os bens de consumo semi e não duráveis (2,94%) e os bens de consumo duráveis (0,60%).

+Bolsonaro proíbe falar sobre Renda Brasil e mantém Bolsa Família

+Auxílio Emergencial: Governo Federal supera marca de 300 milhões de pagamentos

PODE LHE INTERESSAR