Governo libera dinheiro para pagar novas parcelas do Auxílio Emergencial

© Shutterstock

Governo libera dinheiro para pagar novas parcelas do Auxílio Emergencial.

O governo federal liberou R$ 101,6 bilhões para pagar as próximas duas parcelas do Auxílio Emergencial para categorias que tiveram suas fontes de renda afetadas pela pandemia do novo coronavírus.

Como ficam os próximos pagamentos do Bolsa Família com novo formato do governo

A transferência do valor para o Ministério da Cidadania, responsável pelo pagamento, foi oficializada em publicação no Diário Oficial da União (DOU) desta quarta-feira (1º/07).

Mesmo aqueles que ainda não se cadastraram na plataforma da Caixa Econômica Federal para receber o benefício ainda podem pleitear o auxílio. O prazo para a requisição vai até esta quinta-feira (2/07).

Auditoria revela que milhares de aposentados do INSS receberam Auxílio Emergencial

Novos calendários e valores

As duas últimas parcelas terão um cronograma diferente em relação às três primeiras. Pela regra, o beneficiado receberá R$ 500 no início do primeiro mês e R$ 100 no fim. No segundo mês da prorrogação, o pagamento será dividido em duas parcelas de R$ 300.

Carteira Verde e Amarela vai beneficiar milhões de inscritos do Auxílio Emergencial

Quando o benefício ainda estava em fase de estudo, o Auxílio Emergencial foi pensado para durar três meses, de abril a junho. Antes de encaminhar a proposta ao Congresso, a equipe econômica do governo queria que o valor fosse de R$ 200 a cada mês. Após pressão dos parlamentares, foi definido o valor de R$ 600.

Logo que a discussão sobre a continuidade do benefício teve início, o governo propôs pagar mais três parcelas de R$ 300. A ideia não foi bem recebida pelo Legislativo.

Com a criação do novo Renda Brasil o Bolsa Família vai aumentar?

Na semana passada, em uma transmissão ao vivo nas redes sociais, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) confirmou a prorrogação do auxílio, mas disse que os valores ainda estavam sendo estudados.

Na ocasião, Bolsonaro disse que a “ideia” do governo era pagar mais três parcelas do auxílio, nos valores de R$ 500, R$ 400 e R$ 300, respectivamente, entre julho e setembro. Novamente, a proposta não foi consensual entre os parlamentares.

Fonte: Metrópoles

Veja mais