Auxílio Emergencial negado? É mais vantagem contestar ou refazer pedido?

Entenda se é mais vantagem contestar ou refazer pedido do Auxílio Emergencial
Entenda se é mais vantagem contestar ou refazer pedido do Auxílio Emergencial – Foto: Reprodução

Auxílio Emergencial negado? É mais vantagem contestar ou refazer pedido?

Essa é uma dúvida bastante comum para quem teve seu benefício negado. Portanto, a depender da situação, refazer o pedido do Auxílio Emergencial pode ser uma opção melhor do que contestar a recusa do benefício. Isso porque uma nova solicitação permite que os dados cadastrais sejam revistos, o que pode ser a raiz do problema.

Os dois procedimentos estão disponíveis no aplicativo Caixa Auxílio Emergencial para quem teve o benefício negado. A contestação, que só pode ser feita uma vez, não permite que o usuário troque os dados fornecidos, mas apenas reenvia o pedido para nova análise da Dataprev.

Leia também: Auxílio Emergencial: governo estuda liberar duas parcelas extras de R$ 300 cada (R$ 600 para mães solteiras)

“É preciso fazer uma nova solicitação quando houver a necessidade de corrigir informações prestadas anteriormente”, informa Tatiana Thomé, vice-presidente de governo da Caixa Econômica Federal, em entrevista coletiva.

Para tornar as informações mais claras, toda vez que um pedido for negado por problemas cadastrais, gerando uma análise inconclusiva, o aplicativo irá direcionar a pessoa diretamente para a opção de nova solicitação. O anúncio foi feito nesta quinta-feira (04/06), pelo Ministério da Cidadania.

Confira também: Governo libera lista de beneficiários do auxílio emergencial

Por que o auxílio foi negado?

Tatiana afirma que um dos principais erros ao inserir os dados é a o cadastro familiar divergente.

“Vamos supor que uma chefe de família cadastra os parentes que moram no mesmo endereço; mas um dos integrantes da família também se cadastra e não declara os mesmos parentes. Esse é um dos problemas que dá muito erro de cadastro”, explica.

Veja também: Auxílio Emergencial: Caixa libera 200 mil pedidos que estavam em análise ou reanálise

Outros motivos pelos quais o auxílio emergencial pode ser negado são quando o sistema entende que a pessoa tem vínculo empregatício ativo, que algum membro da família indicado no pedido veio a óbito, que o cidadão recebe benefício do INSS ou seguro-desemprego, ou que a renda familiar declarada é superior a três salários mínimos (ou meio salário mínimo por pessoa).

Em todos esses casos, se o benefício for negado e a pessoa apenas contestar a recusa, o problema dificilmente será resolvido; já que os dados cadastrados serão os mesmos. Para corrigir os dados, é preciso realizar uma nova solicitação.

Leia também: Auxílio Emergencial: uso de cartão virtual do Caixa Tem facilita compras

Como fazer uma nova solicitação? 

Para não ter nenhum erro, antes de realizar a nova solicitação é preciso conferir se você se encaixa em todas as regras para receber o auxílio emergencial . Além disso, se mais de um mebro da família for realizar o pedido, é essencial que os dados sejam os mesmos, com todos os membros cadastrados corretamente.

Veja também: Caixa explica como será o pagamento do FGTS e 3ª parcela do Auxílio Emergencial

Para realizar um nova solicitação, é preciso acessar o aplicativo Caixa Auxílio Emergencial, e ir até “acompanhe sua solicitação”. Depois de inserir seus dados, a tela irá mostrar o motivo pelo qual o benefício foi negado.

Nessa tela, clique em “realizar nova solicitação” e preencha todo o seu cadastro novamente, se atentando aos detalhes.

Com informações de Brasil econômico – iG

PODE LHE INTERESSAR