Confira o calendário de pagamentos do Auxílio Brasil

Confira o calendário de pagamentos do Auxílio Brasil
Confira o calendário de pagamentos do Auxílio Brasil

Confira o calendário de pagamentos do Auxílio Brasil.

O presidente (sem partido) Jair Bolsonaro editou decreto que regulamenta o Auxílio Brasil. O documento foi publicado na noite de ontem em edição extra do DOU (Diário Oficial da União).

>>Auxílio Brasil começará a ser pago sem o acréscimo do benefício complementar; entenda

A criação do programa já está prevista em medida provisória que aguarda votação na Câmara dos Deputados, mas era necessária a sua regulamentação. No decreto, está a definição dos valores que serão pagos aos beneficiários.

Veja abaixo detalhes do programa:

Quando começa a valer?

O Auxílio Brasil começa em 17 de novembro com o pagamento para beneficiários com NIS (Número de Inscrição Social) de final 1.

>>Presidente edita decreto que regulamenta o Auxílio Brasil

Qual é o calendário?

O calendário é o mesmo do antigo Bolsa Família. Confira o calendário de pagamentos do Auxílio Brasil em novembro e dezembro, de acordo com o número do NIS.

Novembro de 2021

NIS final 1: 17 de novembro de 2021
NIS final 2: 18 de novembro de 2021
NIS final 3: 19 de novembro de 2021
NIS final 4: 22 de novembro de 2021
NIS final 5: 23 de novembro de 2021
NIS final 6: 24 de novembro de 2021
NIS final 7: 25 de novembro de 2021
NIS final 8: 26 de novembro de 2021
NIS final 9: 29 de novembro de 2021
NIS final 0: 30 de novembro de 2021

>>14,6 milhões de famílias começam a receber Auxílio Brasil este mês

Dezembro de 2021

NIS final 1: 10 de dezembro de 2021
NIS final 2: 13 de dezembro de 2021
NIS final 3: 14 de dezembro de 2021
NIS final 4: 15 de dezembro de 2021
NIS final 5: 16 de dezembro de 2021
NIS final 6: 17 de dezembro de 2021
NIS final 7: 20 de dezembro de 2021
NIS final 8: 21 de dezembro de 2021
NIS final 9: 22 de dezembro de 2021
NIS final 0: 23 de dezembro de 2021

>>Fim do Auxílio Emergencial vai deixar milhões de pessoas sem receber

Quem irá receber?

Segundo o governo federal, todas as famílias que tem direito ao Bolsa Família receberão o benefício automaticamente, sem necessidade de recadastramento.

Para receber o benefício, será necessária a inscrição ou atualização no CadÚnico (Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal), principal porta de entrada para os benefícios do governo federal.

Cerca de 14,6 milhões de famílias serão atendidas em novembro. Em dezembro, o programa será ampliado para 17 milhões de famílias, segundo o Ministério da Cidadania. Essa ampliação, no entanto, ainda depende de fonte de financiamento.

>>Pente-fino do INSS: milhares podem ter benefício suspenso

Qual será o valor do benefício?

O valor médio do benefício será de R$ 217,18 mensais, o que representa um aumento de 17,84% no tíquete médio pago até então no Bolsa Família. “O reajuste dos benefícios básicos é permanente e será incorporado ao programa em caráter definitivo”, informou o Ministério da Cidadania.

As famílias com renda per capita de até R$ 100 passaram a ser consideradas em situação de extrema pobreza; aquelas com renda per capita de até R$ 200 passam a ser consideradas em condição de pobreza. No Bolsa Família, os valores eram, respectivamente, de R$ 89 e de R$ 178 por pessoa.

>>Fim do Bolsa Família: Auxílio Brasil deve começar em novembro

E os R$ 400?

Em dezembro, dependendo da aprovação da PEC dos Precatórios, o governo diz que pagará um complemento, que dará a cada família, até dezembro de 2022, pelo menos R$ 400 mensais.

Em nota, o Ministério da Cidadania disse que o valor mínimo de R$ 400 para cada família “deve ser viabilizado com a aprovação da PEC 23/2021 e será pago em dezembro, retroativo a novembro. Esse valor complementar tem caráter temporário, até 31 de dezembro de 2022.”

O texto-base PEC foi aprovada em primeiro turno na Câmara na semana passada e a votação dos destaques e do segundo turno está prevista para hoje. O texto ainda tem que passar por duas votações no Senado.

Fonte: Economia – UOL

PODE LHE INTERESSAR