Com estas situações é possível sacar dinheiro de contas inativas do FGTS; entenda

Com estas situações é possível sacar dinheiro de contas inativas do FGTS; entenda
Com estas situações é possível sacar dinheiro de contas inativas do FGTS; entenda

Com estas situações é possível sacar dinheiro de contas inativas do FGTS; entenda.

Caso o trabalhador seja demitido sem justa causa, mas por algum motivo não saque o dinheiro do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), esse montante vai para as chamadas “contas inativas”.

>>Descubra quanto do lucro do FGTS você pode receber

A conta adquire esse caráter toda vez que para de receber depósitos, ou seja, quando o empregador para de pagar.

Já na justa causa, a conta também se torna inativa, a única diferença é que o trabalhador perde o direito da multa rescisória de 40%.

>>FGTS define valor de lucro que será distribuído para trabalhadores; quem tem direito?

Para movimentar o dinheiro, a Lei 8.036, de 1990, que rege o FGTS, prevê as seguintes situações:

  • aposentadoria;
  • necessidade pessoal, urgente e grave, decorrente de desastre natural causado por chuvas ou inundações que tenham atingido a área de residência do trabalhador;
  • quando a situação de emergência ou o estado de calamidade pública for assim reconhecido, por meio de portaria do governo federal; falecimento do trabalhador; idade igual ou superior a 70 anos;
  • portador de HIV ou câncer;
  • estágio terminal em decorrência de doença grave (trabalhador ou dependente);
  • aquisição de casa própria, liquidação ou amortização de dívida ou pagamento de parte das prestações de financiamento habitacional. Nesses casos, é permitido o saque integral de contas ativas ou inativas do FGTS.

>>Lucro do FGTS: dinheiro deve ser distribuído aos mais de 83 milhões de trabalhadores

Saques

Para valor igual ou inferior a R$ 1,5 mil, o saque pode ser feito em salas de autoatendimento das agências Caixa. Para isso, é necessário o Cartão do Cidadão ou o número do PIS/PASEP/NIT/NIS.

Já para valores acima de R$ 3 mil, basta ir a uma lotérica, “Caixa Aqui”, ou agências da Caixa.

Fonte: iG – Economia

PODE LHE INTERESSAR