Caixa paga auxílio para cerca de 3,4 milhões nascidos em maio

Caixa paga auxílio para cerca de 3,4 milhões nascidos em maio
Caixa paga auxílio para cerca de 3,4 milhões nascidos em maio .© Marcelo Camargo/Agência Brasil

Caixa paga auxílio para cerca de 3,4 milhões nascidos em maio

A Caixa Econômica Federal deposita nesta quinta-feira (17) as parcelas dos auxílios emergencial e extensão para 3,4 milhões de beneficiários nascidos no mês de maio. A grana, já disponível pelo aplicativo Caixa Tem, pode ser usada para pagar contas de serviços essenciais e fazer compras.

O grupo dos que recebem a parcela hoje faz parte do Ciclo 6 do programa emergencial e são os últimos beneficiários aprovados pelo aplicativo da Caixa e inscritos no CadÚnico. Eles receberam a primeira parcela de R$ 600 em julho e vão ganhar tanto o auxílio normal como a segunda parcela do auxílio extra de R$ 300.

>>Caixa deposita auxílio emergencial a 3,2 milhões nascidos em abril

Do total de beneficiários, 66,6 mil receberão nesta segunda as novas parcelas do auxílio emergencial. Os demais 3,3 milhões receberão o pagamento referente ao auxílio extensão no valor de R$ 300 ou R$ 600 para mães solteiras. Durante todo o mês de dezembro, 15,8 milhões de pessoas cadastradas no Programa que foram consideradas elegíveis vão receber, no total, R$ 4,1 bilhões.

O saque em dinheiro para os nascidos em maio poderá ser realizado em 11 de janeiro de 2021. Até lá o valor pode ser movimentado por meio do aplicativo Caixa Tem. Pelo sistema, os beneficiários conseguem pagar boletos, comprar pela internet e pelas maquininhas de estabelecimentos comerciais.

>>Governo anuncia plano de vacinação contra covid; veja quem poderá se vacinar

Parcelas extras

Todos os beneficiários considerados elegíveis e que cumprem os requisitos vão receber cinco parcelas de R$ 600 do auxílio emergencial normal. Mas nem todos receberão as quatro parcelas extras de R$ 300.

Isso porque a MP que determinou o auxílio extensão prevê pagamento proporcionalmente à data de entrada no programa. Por exemplo, quem começou em abril recebe as quatro. Quem começou em maio recebe três, em junho, duas, e em julho, uma.

Além disso, pelas novas regras, a declaração do Imposto de Renda 2020 será critério de exclusão para quem teve rendimentos superiores a R$ 28.559,70 em 2019 ou bens e direitos de valor superior a R$ 300 mil ao final do ano passado. Quem mora no exterior ou presos em regime fechado também foram excluídos do pagamento.

>>Um quarto das riquezas brasileiras está concentrada em oito cidades; saiba quais são

Calendário

Ciclo 3: quem recebeu a primeira parcela em abril e passa a ganhar a extra de R$ 300; também inclui aqueles que estão recebendo as demais parcelas de R$ 600.
Ciclo 4: aqueles que receberam a primeira em maio e passam a ganhar a extra.
Ciclo 5: beneficiários que receberam a primeira parcela em junho.
Ciclo 6: aqueles que receberam a primeira parcela do benefício em julho.

PODE LHE INTERESSAR