Bolsa Família: qual o valor da quarta (4ª) parcela do auxílio? Confira datas de saques

Autor: Jerffeson Leo

Publicada em


Bolsa Família: qual o valor da quarta (4ª) parcela do auxílio? Confira datas de saques
Bolsa Família: qual o valor da quarta (4ª) parcela do auxílio? Confira datas de saques

Qual será o valor da quarta parcela do auxílio do Bolsa Família? Veja datas de pagamentos.

O calendário do Auxílio Emergencial para inscritos do Bolsa Família segue o cronograma recorrente do programa. Sendo assim, o pagamento da quarta (4ª) parcela deverá acontecer entre os dias 20 e 31 de julho.

Mudança no Bolsa Família é motivo de alerta, diz senador – entenda

A liberação deve acontecer de acordo com o último digito do Número de Identificação Social (NIS). É importante lembrar que quem é beneficiário do Programa Bolsa Família, já possui um calendário pré-definido, de acordo com o número final do NIS. Confira.

Pagamentos não necessitam de solicitação prévia

Dentro da programação de depósitos, as pessoas que possuem o cartão com final 1 receberão na segunda-feira (20/07). Os de final 2, na terça-feira (21/07), e assim por diante, sempre considerando dias úteis para os pagamentos.

+ Renda Brasil: beneficiários do novo Bolsa Família terão prioridade em programa de emprego

Como aconteceu com as parcelas anteriores, não é necessário nenhum tipo de solicitação ou cadastramento especial para receber a continuação do auxílio que terá mais três parcelas, conforme adiantou o governo.

As famílias que fazem parte do Bolsa Família serão avaliadas e a quantia extra é enviada quando o valor é superior ao que elas recebiam anteriormente.

+ Caixa paga Auxílio Emergencial para mais um grupo do Bolsa Família – veja calendário

Confira o calendário da quarta (4ª) parcela do Auxílio Emergencial do Bolsa Família (de acordo com o número final do NIS):

  • 20 de julho de 2020: Nis final 1
  • 21 de julho de 2020: Nis final  2
  • 22 de julho de 2020: Nis final  3
  • 23 de julho de 2020: Nis final 4
  • 24 de julho de 2020: Nis final 5
  • 27 de julho de 2020: Nis final 6
  • 28 de julho de 2020: Nis final 7
  • 29 de julho de 2020: Nis final 8
  • 30 de julho de 2020: Nis final 9
  • 31 de julho de 2020: Nis final 0

Qual será o valor da quarta parcela?

Esse foi o ponto o mais polêmico dos últimos dias. Havia um impasse entre o governo e os deputados sobre o valor das próximas parcelas, mas tudo foi resolvido nesta terça-feira (30/06).

+ Renda Brasil será permanente e vai unificar Bolsa Família, Abono Salarial e Seguro-Defeso

O presidente Jair Bolsonaro definiu que o novo valor da (4ª) quarta e da (5ª) quinta parcela do auxílio emergencial do Bolsa Família, será de R$ 600 cada mês. O anuncio foi feito durante pronunciamento na tarde desta terça-feira (30/06). De acordo com Bolsonaro, o valor ficou conforme o cronograma abaixo:

  • Quarta parcela: R$ 600 (JULHO)
  • Quinta parcela R$ 600 (AGOSTO)

Nos últimos dias, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), vinha defendendo a extensão mais abrangente do programa, com a prorrogação por três meses do valor integral do benefício no valor de R$ 600, no entanto, Bolsonaro resolveu a questão e prorrogou por mais dois meses de R$ 600 reais.

Bolsa Família: Caixa libera mais dinheiro do Auxílio emergencial

“Graças a Deus que o presidente prorrogou o auxilio com mais duas parcelas de R$ 600. Isso vai me ajudar muito. Estou muito feliz”, disse dona Jussara Reis, de 40 anos. Ela tem 3 filhos e sustenta a casa com o dinheiro do auxílio do Bolsa Família.

Critérios que geraram negativas no Bolsa Família

De acordo com o Ministério da Cidadania, quase 4 milhões de beneficiários do Bolsa Família não têm direito aos R$ 600 por não cumprirem os requisitos do auxílio emergencial.

Esse número representa 17% de todas as pessoas do programa assistencial, que somam hoje 23,2 milhões

Quem perder Bolsa Família pode receber Auxílio Emergencial? Entenda condições

Dentre as razões da negativa, 1,84 milhão de pessoas (46%) possuem dois integrantes dentro da família que já recebem a renda emergencial definida pelo governo.

E o restante, 1/3 dos que não tiveram direito, possuem carteira de trabalho assinada, segundo acusou o cruzamento dos dados do governo federal com informações bancárias.

**Texto alterado para acréscimo de informações as 17:15, de terça-feira (30/06).