Ministério repassa R$ 93 mi para melhorar atendimento aos beneficiários do Bolsa Família e Cadastro Único

Ministério repassa R$ 93 mi para melhorar atendimento aos beneficiários do Bolsa Família e Cadastro Único
Ministério repassa R$ 93 mi para melhorar atendimento aos beneficiários do Bolsa Família e Cadastro Único – Foto: Reprodução

 

O Ministério da Cidadania repassou R$ 93 milhões para estados e municípios com o objetivo de apoiar a gestão do Cadastro Único para Programas Sociais e do Bolsa Família. Os recursos são referentes às parcelas dos meses de abril e maio deste ano do Índice de Gestão Descentralizada (IGD). No total, desde janeiro foram depositados R$ 230 milhões por meio do Fundo Nacional de Assistência Social (FNAS).

O índice avalia a qualidade da gestão do programa Bolsa Família nos municípios e estados. São mensurados a quantidade de atualizações do Cadastro Único e o registro do cumprimento das condicionalidades de educação e de saúde. A partir disso, o volume do valor repassado a cada município é baseado nas atividades e nos resultados alcançados na gestão e execução do programa.

Ministério repassa R$ 93 mi para melhorar atendimento aos beneficiários do Bolsa Família e Cadastro Único
Ministério repassa R$ 93 mi para melhorar atendimento aos beneficiários do Bolsa Família e Cadastro Único – Foto: Charles Fábion / N1 BAHIA

 

Com os recursos, os gestores podem fazer aquisições e investimentos para aprimorar a gestão local, com foco no atendimento aos beneficiários do Bolsa Família e do Cadastro Único. É possível, por exemplo, comprar mobiliário, veículos e computadores – e até mesmo promover cursos de capacitação para as equipes técnicas. Sendo assim, a diretora de Operação do Ministério da Cidadania, Marina Carvalho de Lorenzo, diz que a melhoria na gestão sempre tem como foco o público que mais precisa das políticas públicas.

“Esse esforço empreendido na gestão do Bolsa Família, que acontece no âmbito da assistência social, em articulação com a educação e a saúde, é algo que também impulsiona o acesso desse público a outras políticas, como o Criança Feliz.”

Marina Carvalho sugere ainda como estados e municípios podem agir para melhorar o desempenho na gestão do Bolsa Família e, assim, elevar o valor repassado pela pasta.

“Se, por meio de um planejamento intersetorial, a prefeitura sempre estiver atenta às demandas e às atividades de gestão que correspondem ao IGD, como a atualização cadastral e o trabalho articulado com as áreas de saúde e educação, conseguirá alcançar índices de gestão elevados”; aponta.

“Um outro aspecto importante é o trabalho junto aos conselhos municipais de assistência social; que participam do planejamento e que depois vão fazer a fiscalização da prestação de contas dos recursos”; completa a diretora do Ministério da Cidadania.

O que é Índice de Gestão Descentralizada (IGD)?

O IGD é um indicador desenvolvido pelo Ministério da Cidadania para mostrar a qualidade da gestão local; de programas do Bolsa Família e do Cadastro Único. Ele contribui para que municípios, estados e Distrito Federal busquem, continuamente, o aprimoramento das ações sob sua responsabilidade; executando com qualidade e eficiência as atividades necessárias à execução do Bolsa Família e do Cadastro Único.

O índice varia entre zero e um. Portanto, quanto mais próximo de um, melhor o resultado da avaliação da gestão. Ou seja, com base nesse indicador, o ministério calcula o valor dos recursos financeiros; e estes serão repassados às unidades federativas e aos municípios.

PODE LHE INTERESSAR