Bolsa Família congelado! 137 mil famílias fazem inscrição, mas não são inclusas no programa

Na última semana, o prefeito Bruno Covas (PSDB) revelou que há mais de 137 mil famílias paulistanas ainda aguardam a aprovação para receber os salários do Bolsa Família. De acordo com ele, não há justificativas para que esse grupo seja barrado do projeto.

>>Startup abre 200 vagas de emprego em regime home office com início imediato

A candidatura de novos segurados no programa social de renda, Bolsa Família tem sido um problema em várias regiões do Brasil.

Enquanto no Nordeste e em São Paulo há milhares de famílias com o pedido barrado (congelados0, em regiões como no Mato Grosso do Sul estão sendo aceitos mais do que o previsto pelo ministério da cidadania.

Bolsa Família congelado em São Paulo

De acordo com a denuncia feita por Covas, cerca de 137 mil famílias estão com o pedido de aceite barrado. O gestor paulista garantiu que todas se adequam as regras para a concessão do benefício, no entanto, ainda não obtiveram resposta do por parte do governo federal.

>>Projeto de surfe pretende democratizar modalidade para 36 mil pessoas

Ainda segundo os dados apresentados pela prefeitura paulistana desde abril de 2020 não são aceitos novos segurados. Na contrapartida, cerca de 9 mil famílias foram excluídas desde setembro. Nesse momento, a capital conta com 471.084 cadastros aprovados.

Congelamento do Bolsa Família no Nordeste

Além de São Paulo, existem outras regiões onde o programa está travado. Também na última semana, o governador do Estado da Bahia, Rui Costa (PT) afirmou que além da falta de aceitação de novos segurados, há ainda milhares de baianos sendo cortados do programa sem nenhuma justificativa.

Em Pernambuco, a situação é bastante similar, com o número de cortes maior do que a inclusão de novas famílias que também não vem sendo realizada.

>>Enem: participantes já podem conferir novos locais de prova

Vale ressaltar que, desde o início da gestão do presidente Jair Bolsonaro o portal da transferência ocultou os dados de manutenção do Bolsa Família e garantiu que o mesmo seria reformulado e que famílias seriam inclusas no programa, uma vez que o projeto do Renda Cidadã não avançou.

Em resposta, o Ministério da Cidadania garantiu que desde abril de 2020 o programa passou a receber mais que 14 milhões de cadastros.

Os gestores federais estão trabalhando para  garantir a proposta de reformulação do programa que almeja, entre outras coisas, aumentar o valor dos salários e alterar as regras de concessão.

>>Novo auxílio emergencial vai pagar famílias com renda de até R$600 per capita

Sobre o Bolsa Família

Criado em 2013, o Bolsa Família é um programa da Secretaria Nacional de Renda de Cidadania (Senarc), que contribui para o combate à pobreza e à desigualdade no Brasil. Ele possui três eixos principais: complemento da renda; acesso a direitos; e articulação com outras ações a fim de estimular o desenvolvimento das famílias.

>>Esses são os direitos e vantagens ao se formalizar como MEI; confira

A gestão do Bolsa Família é descentralizada, ou seja, tanto a União, quanto os estados, o Distrito Federal e os municípios têm atribuições em sua execução. Em nível federal, o Ministério da Cidadania é o responsável pelo Programa, e a Caixa Econômica Federal é o agente que executa os pagamentos.

PODE LHE INTERESSAR